Saturday, September 30, 2006

Chá de Boldo



Depois de algumas doses bem servidas de chá de boldo e uns cromprimidinhos de rivotril estou pronto para o fim-de-semana. Mas sinto-me como os personagens de Horror em Amithville, vocês lembram? A história "verídica" transformada em livro foi sucesso nos anos oitenta e virou filme. Trata-se da clássica história da casa mal-assombrada. Uma família papai-mamãe-maninhos-cachorro de propaganda de qualquer coisa compra uma linda casa no interior, onde viverão felizes. Só que a tal casa é habitada por espíritos malignos que transformam o que seria uma história de belos momentos do american way of life em um inferno de onde os protagonistas não conseguem nem querem sair e nem têm forças suficientes para evitar ou combater os ataques. Então passam a viver esperando os próximos ataques diabólicos. Pois é, me sinto dentro da mansão de Amithville nestes dias. A cada momento surge um espectro pior do que o anterior. Ainda bem que, neste caso, pelo menos sei onde fica a usina de espectros e zumbis. Então, o negócio pra hoje e amanhã é água benta, crucifixo, alho, mais chá-de-boldo e camomila, meditação zen e , PRINCIPALMENTE, bandeira na rua e conversa com indecisos e almas mais cansadas e enfraquecidas pelo bombardeio ectoplasmático desses súcubos midiáticos. Aliás, aproveito para seguir os passos dos essenciais amigos Animot e Palestina e abro meu voto. Lula-Olívio-Rosseto-Fontana-JairoJorge. Como sou um zen-anarquista-sem-noção não preciso justificá-lo.
Em Frente,
Enfrente!!!

Friday, September 29, 2006

Náusea

A divulgação ilegal de fotos com objetivo de prejudicar a candidatura Lula e o comportamento da imprensa no Brasil e no RS nestes últimos dias são difíceis de digerir. Sinceramente não lembro de algo tão nojento desde a derrubada de Jango. Minhas tripas estão fibrilando...

Tuesday, September 26, 2006

Aos tartufos midiáticos da Democracia-Mercado

"a vergonha de ser um homem não é experimentada apenas nas condições extremas descritas por Primo Lévi, mas em condições insignificantes, diante da baixeza e da vulgaridade que campeia nas democracias, diante da propagação destes modos de existência e de pensamento para o mercado... e não há outro meio senão bancar o animal (grunhir, escavar, fazer caretas, convulsionar-se) para escapar ao ignóbil; o próprio pensamento está por vezes mais próximo de um animal morrendo que de um homem na sua infâmia."

fala de Deleuze em aula, citada por G. Châtelet

Wednesday, September 20, 2006

Lacerdismo redivivo



O Lacerdismo é uma peste proto-fascista que surge no Brasil de tempos em tempos, justamente quando governos com compromissos democráticos e populares implantam este tipo de políticas. Sabe-se que o governo Lula tem alianças "vastas" e que está longe dos sonhos dos velhos socialistas e mesmo de reformistas mais radicais ou arrojados. Mesmo assim já é suficiente para se querer virar a mesa, e a aliança, que no Brasil já é arquetípica, entre uma grande mídia desde sempre preconceituosa, comprometida e conservadora e os setores políticos que representam os interesses de uma elite indiferente ao país e seu povo se organiza rapidamente e começa a funcionar como um moedor de carne da democracia e dos direitos. Então vemos ministros de tribunais superiores e autoridades policiais saírem completamente da posição que lhes é imposta pela constituição e começarem a agir como teatrais militantes políticos bradando ameaças, conclusões precipitadas, pseudo-verdades e engrossarem perigosamente o caldo daqueles a quem só interessa a democracia que lhes favoreça, caso contrário, vale tudo. Que fique claro, este "destempero verbal" de certas autoridades não é questão discursiva, estas são ações políticas com objetivos definidos e cálculos subjacentes. Foi assim com Getúlio, foi assim com Jango e pode ser assim com Lula, caso não se perceba e aja a tempo. Há pouco mais de uma semana das eleições cabe a todas as forças democráticas do país, do Seu Zé e da Dona Maria até as pessoas comprometidas com valores democráticos das mais variadas instituições e mesmo das instituições ligadas de alguma forma à saúde da república não deixarem que capítulos bizarros de nossa história, como a famigerada "República do Galeão" se repitam. Se precisar ir pra rua, contem comigo.

Sunday, September 10, 2006

JazzNet

Há uns dois meses me apareceram técnicos da Net aqui em casa após combinação prévia, é claro, pois eles são super organizados e eficientes (deve ser a busca da qualidade total, do ISO 15.505 ou do grau 5-S , sei lá). Eles vieram "transformar" minha recepção em digital e com esse objetivo ficaram uns 20 minutos fuçando na fiozeira bagunçada detrás da estante, após, trocaram o receptor (seria esse o nome da caixinha?) de canais. Após a empreitada técnica a imagem realmente melhorou, mas qualquer troca de canal ficou mais lenta e enfadonha, as legendas às vezes teimam em não dar o ar de sua graça e a imagem tranca quando bem quer. Fiquei pensando que era mais feliz no estágio analógico da tecnologia televisiva quando podia trocar de canal e zapear loucamente e as imagens seguiam, na mesma velocidade, minha ânsia vã por um programinha melhor. Pois só agora, ó tempo rei, descobri a grande vantagem da Net digital: o canal de música. Você entra ali e tem várias possibilidades e estilos de música relativamente bem selecionada (é claro que também tem porcaria!), sem comerciais e com boa qualidade de som (dependendo de seu televisor) para curtir. Agora estou mais feliz porque no tempo relativamente pequeno que tenho para morrer no sofá e ligar a TV, coloco no canal de JazzClássico e... chãnãnãnã... quase não assisto mais TV (exceção para Seinfeld). A NET é muito melhor como rádio do que como TV digital. Viva a tecnologia!