Thursday, March 30, 2006

Telhado de Estrelas


Tô nem aí para o nacionalismo bobinho e nem para o uso político que se possa fazer disso, o fato é que sou fã dessa história de um brasileiro dando gargalhadas pelo espaço. Se pudesse, eu também daria umas voltas por lá!! É isso aí seu Marcos Pontes !! Mete bronca !

Wednesday, March 29, 2006

a vanguarda do golpismo


A esquerda(latu sensu mesmo), ao longo das últimas décadas, resolveu manter seus compromissos com a igualdade, a justiça, a solidariedade e com a construção de um mundo habitável e, rompendo com parte de sua história, abriu mão da tomada do poder via revolução armada. Fora pequenos núcleos um tanto rígidos e histéricos que se parecem mais com seitas místicas proprietárias das verdades últimas e de mapas claros para a redenção coletiva da humanidade, nós da esquerda (me incluo com orgulho e alegria nessa turma) tivemos de reconstruir entendimentos, concepções, estratégias e continuar enfrentando aqueles que, consciente e ativamente, preferem que o mundo(do micro ao macro) permaneça a$$im como está. Mas nós, definitivamente, estamos comprometidos com a democracia, mesmo a democracia " burguesa", esta que cria rituais eleitorais a cada 4 anos e se dá por satisfeita. Mesmo para mudar, aperfeiçoar este modelo de democracia decidimos não mais tentar "virar a mesa", mas conquistar na luta cotidiana mais e mais espaço, nos corações, mentes, consciências dos que têm alguma percepção crítica e disposição de MUDAR. E muito foi feito, não é mesmo??
Digo isso tudo porque hoje, no Brasil, está claro quem não gosta de democracia, mesmo em sua versão leve e dietética. Quem não gosta de democracia é quem nunca gostou e só a apoiou enquanto tinha o controle da situação. Foi assim em 1961, em 1964 e é isso o que ocorre agora. Quem não gosta de democracia não gosta dela porque ela é realmente capaz de gerar mudanças em direção a uma situação melhor para a maioria e de desalojar antigos e rotundos parasitas deste país. É o caso do PSDB, notável e definitiva decepção após se tornar irmão de sangue do PFL, que dispensa apresentações.
O que se vê hoje, para mim, é uma clara tentativa de golpe de estado, isso mesmo, não estou exagerando. Sem tanques ou generais, mas um golpe estranho, em um novo estilo midiático, que cria versões estapafúrdias do que ocorre para preparar reações coletivas de indignação ou de raiva, que visam gerar mais e mais efeitos que justifiquem outras ações em diversos níveis, e assim por diante. É a sodomização da cidadania, da democracia e da verdade. O congresso se tornou uma espécie de promotoria delirante pautada pela mídia, e os apresentadores de telejornais parecem delegados de polícia dos anos 70, acusando, condenando, ironizando. Quem não se assumir culpado é "torturado" até "confessar".
Dado objetivo: Foi publicado nesta semana que PSDB/PFL se arrependeram de não terem tentado o afastamento de Lula no ano passado. E agora querem atacá-lo sem trégua, incessantemente, para enfraquecê-lo até as eleições de outubro. Sabemos das bobagens do governo, do PT, de alguns militantes e parlamentares; também dos conflitos programáticos, ideológicos, identitários em que nos enrolamos. Sabemos da autocrítica necessária e urgente. Mas o que está ocorrendo, repito, é uma tentativa de golpe, que se intensificou após as pesquisas eleitorias apontarem uma recuperação do Presidente. É simples assim, se a democracia não pode mais dar chances de vitória a direita, então às favas com a democracia. Se for possível derrubar o governo, melhor. Depois, é só reiniciar a privataria; há gente babando por isso. Quanto a mim, não pegarei em armas para defender o governo Lula se quiserem derrubá-lo. Mas fico aberto a sugestões.

Tuesday, March 28, 2006

rio grande do sul; céu, sol, sul.

Quem quiser descer uns andares (nem tantos assim) no inconsciente coletivo gaúcho pode ler o artigo emblemático de Divino Fonseca sobre o racismo no Rio Grande do Sul e o tratamento institucional e político que ele recebe. É só clicar aqui ao lado, no Animot (que o publicou completo) ou no Rfonseqa. Vou continuar chateando com a denúncia do que chamo de "mito da superioridade política do Rio Grande", aquele papo de que somos o Estado mais politizado do país. Bobagem. Em primeiro lugar porque essa conversa de identidade regional é fake e só interessa a 'marquetins' governamentais pueris que vem com o discurso do "rio grande unido"... ou a autoproclamados regionalistas que vivem a celebrar contos de fadas em lombos de cavalo. O artigo de Divino nos diz, esse é o segundo ponto, o que raramente ouvimos ou queremos ouvir e faz pensar que este Estado não resolveu sua triste história de preconceito e segregação, que vive comemorando as imigrações de europeus (que se comemore), mas que olha muito pouco para a população negra. Isso é ser o Estado mais politizado?? Coisa nenhuma. Este é o estado da Farsul, da RBS, de Davi Canabarro, Percival Puggina e de uma classe média que acredita piamente que sua capital tem o mais belo pôr-do-sol do mundo (?!?!). Mas é claro que também há muita coisa boa por aqui, como, afinal, em qualquer lugar, simplesmente porque aqui é um lugar como qualquer outro, e nada mais.

Friday, March 17, 2006

trans-sacanagem


Os senhores do agronegócio acham uma péssima idéia que o consumidor seja informado da existência de conteúdo transgênico nas embalagens dos alimentos que os contiverem. Por que razão preferem a ignorância e o engano como sócios de seus rentáveis negócios? Ué? E a relação de confiança com "o consumidor"? E os bons valores e sentimentos que eles propagam ad nauseam na sua publicidade, nas propagandas de margarina, nos anúncios de salgadinhos e chocolate? Eles têm medo de perder uns pilas, não é mesmo? É claro, porque ninguém minimamente informado e não impregnado por um tecnologismo tacanho prefererirá comprar produtos geneticamente modificados. Vale lembrar que o Brasil se posicionou a favor da rotulagem, mas foi voto vencido e a próxima reunião será em 2008, até lá, todos os gatos serão pardos.

Tuesday, March 07, 2006

Água classe A versus Água classe C


Noutro dia recebi um folheto bem bonitinho propagandeando um novo filtro doméstico da brastemp. À primeira vista poderia parecer só mais um filtro com algum recurso um pouco sofisticado ou uma aparência kitsch-modernosa. Me enganei. O "conceito" do produto é totalmente "inovador" (como gostam de falar os marqueteiros). Simples, trata-se de "assinatura de água". Como funciona? Você paga 39,90 por mês pelo modelo de filtro sem direito a água gelada (o outro deve ser bem mais caro), e tem acesso a uma água ultra-pura, para resumir as informações (pseudo?)técnicas da peça publicitária. Que fique claro, você não estará pagando O FILTRO, mas sim O SERVIÇO, numa lógica equivalente a das TVs por assinatura. Esta água, segundo os inventores-vendedores, é melhor do que qualquer outra, de qualquer outro filtro (anacrônico?), e a sua tecnologia é compatível com a utilizada em laboratórios para a fabricação de medicamentos, ou seja, é a busca da esterilização total. A cada seis meses, um técnico vai a sua casa "gratuitamente" para trocar alguns elementos filtrantes.
Cheiro de privatização da água, não é mesmo? Então, subliminarmente, temos o seguinte: "a água potável oferecida pelo estado não é boa, é cheia de impurezas, e as outras águas minerais vendidas por aí não são seguras. Não dá para confiar. Para ter uma água realmente boa para o consumo da família, você deve se vincular a nossa empresa e pagar mensalmente, de preferência, para sempre."
Conclusão: você pagará a água duas vezes. Moral da história: sua água será classe A, diferente da água classe C, esta, proletária e impura. Quem duvida do sucesso do produto? E do ambiente pró-privatação da água?
Que sede.

Friday, March 03, 2006

Professores não são bobos... como pensam alguns



A estratégia do governo Rigotto para enrolar os professores estaduais e ganhar tempo não funcionou. Eis a proposta exxperrta defendida na imprensa pelo secretário de edukassão com aquela facies de mogno: o CPERS deve esperar até maio, quando o governo coraçãozinho fará uma "proposta" e publicará um índice possível de reajuste. Por que maio? Porque só em maio o governo teria "elementos" suficientes para "avaliar as finanças" e iniciar negociações. Afinal, janeiro e fevereiro foram meses de férias, depois veio o carnaval ... não dá pra ter certeza de nada agora, tá tudo meio confuso... Ah, e houve a quebra da safra e a China agora faz sapatos, e o monstro do armário ...

Patavinas! Pipocas! O que é óbvia é a tentativa de enrolar, ganhar tempo e enfraquecer o Cpers depois de iniciadas as aulas; amolecer a mobilização; daí vem a copa do mundo, as eleições... E, que ruim uma greve agora, hein? Bem quando o coraçãozinho passeia pelos rincões peemedebistas Brasil tentando convencê-los de que pode ser um bom candidato a presidente, ou tentando convencer a nosotros, gaúchos, de que, se "quase" concorreu a presidente, seria digno de reeleição.
Só que os professores não são bobos, senhores.

Coração Sabotado


O governador mais amado pela imprensa de seu estado e mais sabonete do Brasil (porque não se responsabiliza por absolutamente nada, muito menos pelo seu pífio desempenho) agora quer ser presidente. Sim, presidente do país, que fique bem entendido, mesmo que pareça um tanto surreal. Eu acho que ele, coraçãozinho meigo, seria mais indicado para ser presidente da ABOMBITA (Associação de Bons Moços Cheios de Boas intenções e Idéias Inéditas). Lembram daquela idéia inédita dos postos de saúde que brotariam pertinho uns dos outros? ... Mas esse já é outro assunto, vamos ao que interessa: segundo lamuriosas informações fidedignas de ninguém mais do que dele mesmo, sua campanha intrapartidária para ser candidato a presidente está sendo sabotada por... não se sabe quem. E quem será capaz disto? Quem? Será um complô dos desempregados das indústrias de calçados fechadas em 2005? Será o CPERS? Será o Capitão Medina? Ou Bin-Laden e a Al-Qaeda estarão por trás do alegado sumiço de "material de campanha" no Piauí? Esta é uma questão tão complexa e envolve tantas variávies que, pensando bem, só mesmo o eminente e genial felósofu Olavo de Carvalhos poderia responder, já que é especialista neste tipo de assunto.

... Cada uma hein ... do que não se é capaz para aparecer e atrair uns holofotes.

Skollrrg e as bonecas clonadas


Não precisa ser feminista, nem precisa ser muito sensível à vulgaridade, mas é só dar uma olhada na última "peça publicitária" da cervela Skollrrg denominada a musa da cerveja, a musa do verão , ou algo parecido, para ficar mais sóbrio do que se gostaria. A "mulher" em questão, provavelmente criada pelos geniais publicitários com o objetivo de representar uma espécie de síntese da projeção dos desejos dos homens bebedores de Skollrrg, é clonada num laboratório e produzida em série como salsicha, para ser entregue à domicílio. A modelo/atriz ou atriz/modelo, ou o que possa ser, atua de forma irrepreensível, ou seja, como uma perfeita salsicha, já que este é o objetivo dramático requisitado pelos roteiristas do "departamento de criação". Ela desfila nos braços dos recém-proprietários, embotada, olhar fixo, sorriso de boneca de borracha. Para terminar, a "peça" reserva uma piadinha bem ao gosto do consumidor skollrrg.
Isso tudo me fez lembrar uma cena do filme Jesus de Montreal, de Dennis Arcand, que revela a anatomia de um comercial de cerveja e a "filosofia" que o anima. Um mimo.